5 momentos históricos que o vinho estava presente

5 momentos históricos que o vinho estava presente

5 momentos históricos que o vinho estava presente

Quando você vai até um supermercado ou loja especializada para adquirir seu vinho, você nem imagina o quanto essa bebida já fez parte de momentos históricos da humanidade. Apesar de haver um grande abismo entre o consumo de bebidas alcoólicas e religião, o vinho é a exceção da regra, principalmente, dentro do catolicismo. Um exemplo disso, é que em todo o velho testamento, o único livro que não contém referência alguma ao vinho é o livro de Jonas. Apesar de se remeter a criação da bebida aos gregos e romanos, seu consumo se espalhou por culturas de diversos continentes e fez parte de momentos históricos. Conheça então 5 momentos históricos que tiveram o vinho como um de seus personagens.

Vinho: tesouro do Antigo Egito

O consumo do vinho ganhou fama graças aos gregos e romanos, mas isso não significa que apenas estes povos é que tinham o interesse de apreciar um bom cálice da bebida. Nesta época da humanidade, o Egito também possuía grande influência política e econômica. A fama dos seus grandes faraós se espalhava pelos quatro cantos do mundo, assim como sua riqueza, ostentação por tesouros particulares e construção de grandiosos monumentos. Não era de se estranhar que o consumo de vinho entre os membros da realeza egípcia era algo corriqueiro. O jovem faraó Tutancâmon, era um dos grandes apreciadores de vinho daquele povo, e ao morrer escolheu que em sua tumba fossem colocados seus tesouros e algumas garrafas de vinho. Quando o local foi descoberto em 1922, o rótulo dos vinhos encontrados junto a múmia eram tão específicos que poderiam passar pela legislação de vários países atualmente. Neles continham informações como o ano da safra, o nome do produtor e outras observações.

Derrubando um império

Talvez o povo romano tenha sido um dos principais difusores do consumo de vinho pelo mundo. O crescimento do seu império através da conquista de novos territórios pelas guerras, além da forte influência do catolicismo, acabou por modificar a cultura de diversas populações, inclusive a inserção do consumo da bebida. Porém, um dos grandes mistérios da história da humanidade é como uma civilização tão forte, rica e grandiosa pode ter perdido tanta influência e força em tão pouco tempo. Algumas hipóteses levantadas incluem o vinho como um dos fatores da queda do império romano. Como se sabe, em séculos passados, ainda não se havia encontrado uma forma para garantir que alimentos e bebidas pudessem ter sua durabilidade estendida, mas o romanos descobriram que misturando chumbo ao vinho, prolongava sua durabilidade as ações do tempo, além de dar mais textura e um sabor adocicado. Porém, envenenamento crônico pela substância é citado como um dos componentes influenciadores na queda do império.

Bebida sagrada

A religião judaica é conhecida pelo seu caráter rigoroso e respeito às origens. Todo essa disciplina não se resume apenas para com as atitudes, mas também está presente nas ações do dia a dia, inclusive na preparação de alimentos e bebidas. Sendo assim, o vinho, para os judeus ortodoxos, deve ser kosher, que significa “adequado” ou “digno de confiança”. Seu processo de produção deve seguir o conjunto das leis judaicas relativas à alimentação.

Entre os muitos critérios que devem ser respeitados, o vinho deve ser produzidos a partir de vinhedos que tenham, pelo menos, 4 anos de idade e que descansem uma vez a cada 7 anos. Além disso, as uvas utilizadas para a produção da bebida devem ser colhidas somente por judeus, de forma manual e a colheita não pode acontecer durante o final de semana. O vinho é a principal bebida no judaísmo, tanto que é citada no Torá, livro sagrado dos judeus, por 207 vezes. Achados arqueológicos na região de Israel dão conta que o vinho já era produzido na região, antes mesmo de ganhar força na Grécia e Roma. Entretanto, com a dispersão dos judeus, no século I da era comum, a produção do vinho na Terra de Israel foi interrompida.

Lei Seca nos Estados Unidos

Durante a Lei Seca nos Estados Unidos, entre os anos de 1920 e 1933, período que ficou conhecido como “O Nobre Experimento”, a 18ª emenda da Constituição dos Estados Unidos estipulou a expressa proibição da fabricação, transporte e venda de bebidas alcoólicas para consumo em todo o país. Neste período, até mesmo livros escolares que fizessem qualquer menção ao vinho sofreram com sanções, inclusive o governo buscava alguma forma de provar aos estudantes que vinho tanto citado na bíblia era, na verdade, suco de uva sem a fermentação alcoólica. Lideranças políticas e religiosas dos Estados Unidos defendiam que as bebidas alcoólicas deveriam ser amplamente combatidas pelo governo. Muitos defensores da ideia, utilizavam de argumentos religiosos e morais para afirmar que a proibição das bebidas poderia ajudar no desenvolvimento da nação.

Vinho do Islã

Como é de conhecimento geral, o islamismo é uma religião que defende costumes totalmente diferente dos ocidentais, muitos até acreditam que o islã é muito severo ou retrógrado com suas determinações. Uma das determinações mais conhecidas e respeitadas pelos seus seguidores é a proibição do consumo de qualquer tipo de bebida alcoólica pelos seus adeptos. Mas durante a expansão da colonização dos europeus pela região do Oriente Médio, alguns países com predominância da religião muçulmana chegaram a possuir vinícolas, o que não perdurou por muito tempo, e com o passar dos anos foram se extinguindo. No Irã, a última vinícola foi fechada em 1979, logo após a Revolução Islâmica.

O islamismo proíbe o consumo de bebidas alcoólicas. Durante a colonização europeia, alguns países muçulmanos até chegaram a possuir vinícolas. Porém, estas acabaram por desaparecer com o tempo.

 

Como vimos o vinho esteve em momentos importantes da história da humanidade, por isso, escolha um vinho Peterlongo para tornar o seu momento único. Escolha a opção que mais combina com a sua ocasião e brinde a momentos inesquecíveis com nossos saborosos e únicos vinhos Peterlongo.

Gostou de saber sobre a presença do vinhos em momentos históricos? Então compartilhe conosco nos comentários em quais momentos importantes da sua vida o vinho esteve presente.

E-book Vinhos

* A mais antiga garrafa de vinho conhecida do mundo é datada de 325 dC e foi encontrada perto da cidade de Speyer, na Alemanha, dentro de um sarcófago romano. Hoje ela se encontra em exibição no Historisches Museum der Pfalz da cidade.

Junte-se aos nossos assinantes.

Receba as notícias do nosso blog, quentinhas, direto do forno.




Posts mais vistos


  • Conheça nossa linha de Espumantes