Conheça a escala Robert Parker e torne-se um enólogo

Conheça a escala Robert Parker e torne-se um enólogo

Conheça a escala Robert Parker e torne-se um enólogo

Como você faz para escolher seu vinho preferido? Os apreciadores usam os mais variados quesitos para comprar uma garrafa: sabor, acidez, harmonização, tipo de uva, entre outros. Para os mais entendidos nos assunto, é levado em conta até as condições climáticas no momento da abertura de um rótulo. Porém, os especialistas e enólogos não podem deixar seu gosto pessoal interferir no momento da avaliação. Por isso, existem diversas ferramentas e fórmulas para que os especialistas possam eleger os melhores rótulos, compará-los e justificar suas escolhas. Uma delas é a escala Robert Parker que funciona como um sistema de pontuação em formato de escala, que avalia diversos quesitos da bebida. Que tal você aprender mais sobre essa técnica e começar a analisar os rótulos como um especialista?

Como funciona a escala Robert Parker?

Basicamente, esse sistema de avaliação delimita a pontuação em uma escala que vai de 50 a 100 pontos. Todos os rótulos iniciam o processo de avaliação igualmente com 50 pontos e, posteriormente, esse valor pode ser aumentado conforme a avaliação de alguns critérios pré definidos. Neste caso, são levados em conta diversos aspectos que o vinho apresenta. São eles:

  • A aparência e cor da bebida pode acumular até 5 pontos;
  • O segundo aspecto com o maior peso é o aroma que é exalado pelo vinho, que pode valer até 15 pontos;
  • O primeiro e mais valioso quesito, como não poderia ser diferente, é o sabor do rótulo, podendo acumular até 20 pontos;
  • A possibilidade de que o vinho apresente uma melhora com o tempo também é avaliada e pode chegar a até 10 pontos.

Depois de todo esse processo de avaliação e análises, os valores são somados e os vinhos são separados nas categorias: Excepcionais (96 a 100), Excelentes (90 a 95), Muito Bons (80 a 89), Médios (70 a 79), Abaixo da Média (60 a 69) ou Inferiores e Inaceitáveis (50 a 59).

E-book Sabores, aromas e harmonizações

O poder da escala Robert Parker

Apesar de possuir formação em Direito, o advogado e historiador Robert Parker é considerado uma das maiores autoridades no mundo dos vinhos. Depois de ter atuado na área, ele largou tudo para se dedicar ao mundo do vinho. Seu sistema de avaliação possui tanta influência no mercado, que um rótulo mal avaliado em sua escala pode significar o fim daquele vinho, ou até mesmo despencar suas vendas no mercado. A pontuação RP avalia diversos exemplares de todo o mundo, e os resultados são divulgados em um guia, publicado duas vezes por ano, chamado Wine Advocate. Além das respectivas pontuações das bebidas, o material conta com comentários de Parker. A primeira edição da revista foi publicada em 1978.

Como são avaliados os vinhos na escala RP

Quando imaginamos um especialista avaliando rótulos de vinhos, vem a nossa mente a imagem de um homem ou mulher, muito bem vestidos em um local calmo e requintado, degustando vinhos ao som de música clássica. Mas Parker destoa um pouco desse padrão. Suas avaliações acontecem em um escritório comum, com apenas um computador em meio a um emaranhado de papel. Sua degustação acontece ao som potente e muito rock clássico. Além de muitos CD´s, o local possui várias garrafas e uma pia para que possa descartar as bebidas. O crítico separa as degustações em períodos: de manhã são avaliados os tintos e encorpados. Na parte da tarde, é a vez dos brancos. Já a noite, são degustados os espumantes. Em média, Parker degusta cerca de 10 mil rótulos por ano.

Saber provar o vinho é uma arte! E você, como escolhe seu rótulo de Peterlongo preferido? Qual é o critério que você utiliza para selecionar o vinho que será aberto? Compartilhe conosco sua técnica de avaliação e qual é o Peterlongo que nunca pode faltar na sua adega.

Junte-se aos nossos assinantes.

Receba as notícias do nosso blog, quentinhas, direto do forno.




Posts mais vistos


  • Conheça nossa linha de Espumantes