Método Champenoise: tradição em cada borbulha

Método Champenoise: tradição em cada borbulha

Método Champenoise: tradição em cada borbulha

Também chamado de “método tradicional”, que dá origem aos conhecidos champanhes, é o modo como se elabora espumantes de forma artesanal e muito minuciosa.

Reza a lenda que esta é a forma como os primeiros espumantes foram elaborados na região de Champagne, na França, no século XVII, pelo monge beneditino Dom Pierre Pérignon. E até hoje é utilizado com algumas  variações.

 

Como ocorre o método Champenoise

Em um processo rico, o vinho passa por duas fermentações. A primeira delas ocorre em um tanque. Depois disso, o “vinho base”, resultado desta primeira fermentação, é engarrafado e passa então por uma segunda fermentação. Período em que o vinho inicia a formação de bolhas de gás carbônico, conhecidas como o perlage do espumante.

Após a fermentação, inicia o processo de autólise. É aqui que as células das leveduras, em contato com o vinho, alteram seus aromas e sabores e passam complexidade ao produto. O tempo desse processo varia, podendo durar de 1 a 10 anos, de acordo com tipo de produto a ser elaborado.

Depois disso, ocorre um processo chamado remuage. Nessa etapa, as garrafas são colocadas de cabeça para baixo, em um ângulo de 45º. Elas ainda sofrem rotações em intervalos regulares durante 30 dias. O objetivo é depositar as borras, que o processo todo gerou, no gargalo da garrafa.

Depois de 30 dias, o gargalo da garrafa é mergulhado em uma solução de congelamento rápido. Isso faz com que essas borras se solidifiquem. Assim, quando a garrafa é aberta, elas são jogadas para fora pela pressão do dióxido de carbono.

Há ainda uma última etapa: quando é acrescido na garrafa o licor de expedição. É ele que determina o grau de açúcar do espumante e, assim, se ele será Nature, Extra Brut, Brut, Demi… também é realizado o afinamento final do produto que pode levar, inclusive, um conhaque ou brandy em sua composição. Por fim, a garrafa é fechada com a rolha e a cápsula, ficando ainda um determinado tempo nas caves antes de ser comercializado.

 

Qual a diferença?

Não podemos afirmar que uma bebida elaborada a partir do método Champenoise seja melhor do que a elaborada pelo método charmat. A diferença é que, como o contato com as leveduras é mais intenso e prolongado, ela costuma ter maior complexidade e aromas mais marcantes e cor mais intensa.

A diferença entre os métodos de elaboração, está basicamente na experiência. Afinal, ter a oportunidade de experimentar uma bebida elaborada com tanto trabalho, dedicação e, sobretudo, tradição, pode render ótimos momentos.

E se você quiser viver essa experiência, pode provar a nossa Champanhe Elegance, que é elaborada a partir do método tradicional. Possui 36 meses de autólise na garrafa. Elaborada nas versões Nature e Brut. São espumantes intensos, aromáticos e complexos. Aprecie!

Junte-se aos nossos assinantes.

Receba as notícias do nosso blog, quentinhas, direto do forno.




Posts mais vistos


  • Conheça nossa linha de Espumantes